Prémio Arquitetura do Douro

Centro de Alto Rendimento do Pocinho Vence Prémio Arquitetura do Douro

Adega Alves de Sousa e Espaço Miguel Torga com menções honrosas

O Ministro da Cultura entregou hoje o Prémio Arquitetura do Douro ao Centro de Alto Rendimento do Pocinho, uma obra do arquiteto Álvaro Andrade e propriedade do Município de Foz Côa. Na edição de 2017/2018 foram, igualmente, distinguidas com menções honrosas a Adega Alves de Sousa, do arquiteto Belém Lima, e o Espaço Miguel Torga, do arquiteto Eduardo Souto de Moura.

"A nossa Cultura é cosmopolita e também vive no interior do país", destacou Luís Filipe Castro Mendes", Ministro da Cultura, na cerimónia de entrega do galardão, que se realizou no Centro Interpretativo de São João de Tarouca.

À edição de 2016/2017 – organizada pela CCDR-N em parceria com a Seção Regional do Norte da Ordem dos Arquitetos, a Direção Regional de Cultura do Norte e a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte –, concorreram 20 intervenções com destaque para a construção, conservação ou reabilitação de unidades de alojamento turístico, adegas, museus e edifícios de serviços. O Centro de Alto Rendimento do Pocinho, no Douro Superior, destacou-se pela sua integração numa área de 8 mil m2, onde se conjugam zonas de treino, de alojamento e social e se reinterpretam dois elementos seculares da paisagem duriense: os socalcos e os volumes de grandes quintas de produção vinícola.

Lançado em 2006 por ocasião das comemorações dos 250 anos da Região Demarcada do Douro (RDD), o Prémio Arquitetura do Douro é um concurso bienal que procura distinguir e promover boas práticas do exercício da arquitetura realizadas na região após a inscrição do Alto Douro Vinhateiro na Lista do Património Mundial da UNESCO (14 de Dezembro de 2001).